segunda-feira, 23 de setembro de 2013

ONG lança cartilha sobre segurança em veículos

A ONG Criança Segura lançou na semana passada um manual sobre transporte seguro de crianças. O objetivo é orientar pais e profissionais que trabalham com educação de trânsito sobre a importância e a utilização correta dos equipamentos de segurança.

Segundo dados do Ministério da Saúde, aproximadamente duas crianças morreram por dia em 2010 vítimas de colisões de veículos. Segundo estimativas internacionais, o uso correto das cadeirinhas reduziria em até 71% esse número. Apesar de a lei que pune motoristas por transportarem crianças sem os equipamentos adequados estar em vigor, algumas famílias alegam problemas financeiros para a aquisição dos acessórios, ignoram sua importância ou fazem a instalação inadequada, o que compromete a proteção.

O guia explica a diferença entre bebê-conforto, cadeira de segurança e assento de elevação e mostra como cada um deles protege a criança em cada fase. Um erro comum dos pais, segundo a Criança Segura, é levar em conta apenas a idade da criança para escolher o dispositivo. Na verdade, é preciso considerar peso e altura para encontrar o modelo adequado. Além disso, o ideal é que os pais testem o produto em seus veículos – as cadeirinhas não servem em todos os carros. Antes de finalizar a compra também devem verificar se o produto possui selo do Inmetro.

Confira abaixo três mitos sobre segurança em veículos esclarecidos pelo guia:

Mito: Mesmo que a cadeirinha ou assento de elevação já tenha sido envolvido em um acidente automotor, posso continuar o seu uso enquanto este não apresentar nenhum dano externo.
Fato: Uma cadeirinha ou assento de segurança que já houver passado por um acidente deve ser substituído. A cadeirinha ou assento de segurança pode ter rachaduras internas que anulam sua segurança durante outro acidente.

Mito: Só há necessidade de afivelar meu filho na cadeirinha ou no assento de segurança e de usar meu cinto de segurança se eu estiver dirigindo em longas distâncias ou nas estradas.
Fato: Não. 75% dos acidentes ocorrem a 30 km de casa. Somado a isso, 60% dos acidentes ocorrem em vias com limite de velocidade inferior a 70 km/h.

Mito: Em um acidente de carro em baixa velocidade, eu posso proteger o meu filho segurando-o junto a meu peito.
Fato: A maioria dos acidentes de carro é inesperada, deixando menos de meio segundo para uma reação. O tempo médio de reação de um adulto é de 3/4 de segundo, o que é muito lento. Mesmo que você possa reagir suficientemente rápido, uma criança que pesa 10 kg, em um acidente a 50 km/h, teria um peso
equivalente a 500 kg, ou seja, igual a um filhote de elefante.

Para saber mais detalhes sobre escolha de modelos, instalação e segurança no trânsito é possível acessar o manual gratuitamente pela internet: http://criancasegura.org.br/page/guia-crianca-segura-no-carro


Fonte/imagem: Revista Crescer

Nenhum comentário:

Postar um comentário