quinta-feira, 28 de maio de 2015

Você sabia que 28 de Maio é o Dia Internacional do Brincar?



Pois é, então, vamos aproveitar esse dia para brincar mais ainda? O Dia Mundial do Brincar foi instituído pela UNESCO, em 1999, para chamar a atenção, em vários países, ao direito de brincar, visando a conscientizar e a sensibilizar pais, educadores e a sociedade sobre a importância que as brincadeiras têm para o desenvolvimento integral da criança. Esse dia, comemorado mundialmente, abre fóruns, para que os profissionais e a sociedade reflitam sobre o assunto, inclusive sobre os impactos de ter cada vez menos tempo para brincar na infância.
Considerando que, hoje, com a crescente urbanização, as crianças perderam os espaços antes reservados para as brincadeiras e que as famílias, em função do trabalho, passam menos tempo ao lado das crianças e, ainda, a questão dos jogos eletrônicos, a escola tornou-se um ambiente privilegiado para o brincar, já que é o local onde os pequenos passam a maior parte do tempo.

Mas de qual brincar estamos falando? O brincar tem a função vital de fomentar o pleno desenvolvimento da criança em seus múltiplos e variados aspectos, sobretudo do ponto de vista social e cognitivo, estimulando a aprendizagem por meio das experiências que proporciona. Como exemplos, explorar o ambiente, exercitar habilidades motoras, interagir socialmente e despertar a curiosidade e a criatividade.
Nesse contexto, a Educação Infantil deve conduzir um trabalho voltado para o brincar, objetivando atender às necessidades de cada faixa etária, visando ao exercício da fantasia e, também, propiciando, à criança, a aquisição do domínio da linguagem simbólica.
Portanto o educador precisa ter conhecimento teórico sobre o desenvolvimento da criança e também experiências práticas relativas às possibilidades de exploração que as brincadeiras podem oferecer, respeitando os princípios de que cada brincadeira tem um momento e cada criança, um tempo interno de conexão à atividade.





Nessa direção, o brincar na escola requer, sobretudo, a intervenção do professor, pautada na observação das brincadeiras infantis, na oferta de material e espaço adequados, que permitam o enriquecimento das competências imaginativas. Pois, como afirma Henri Wallon,: “a estruturação do ambiente escolar, fruto do planejamento, deve conter uma reflexão sobre as oportunidades de interações sociais oferecidas, definindo, por exemplo, se serão individuais ou coletivas (...) lembrando que a escola, ao possibilitar uma vivência social diferente do grupo familiar, desempenha importante papel na formação da personalidade da criança”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário