sexta-feira, 26 de agosto de 2016

A sala de aula é o pensamento!




“Sala de aula é teia que enreda o conhecimento. Seu espaço é o tempo. Seu tempo é o espaço. Fora, dentro, entre. A cidade, o país, as pessoas, os sonhos, o brincar são suas linhas, que escapam sempre da imagem da criança encaixada em uma sala, em sua aula entediada. A sala de aula é o pensamento... que costura o sabido ao inédito.”

Marcelo Cunha Bueno

Quando pensamos em escola, independente se de "pequenos" ou "grandes" a imagem que nos vem à mente ainda é de um ambiente de sala de aula, com lousa, cadernos, alunos e professores. Esse ainda é um formato existente e necessário, mas não deve ser único!


Para tecer os saberes que permeiam o universo das crianças é preciso ir além!
As atividades precisam promover a criatividade, o pensamento crítico e a resolução de problemas. "Costurar o sabido ao inédito" requer momentos em que a comunicação e a colaboratividade se façam presentes.
Na educação infantil é assim, temos atividades que acontecem entre quatro paredes, em sala de aula. Mas, a maior parte do que propomos às crianças, requer outros espaços. São atividades que "costuram" a informação, a experimentação e a reflexão.
As crianças aprendem sobre a matemática, a linguagem e as ciências através dos projetos didáticos que não dependem unicamente da emissão dos conhecimentos por parte do professor. Ao professor, cabe propor problemas para que elas possam agir, refletir, falar e evoluir por iniciativa própria, criando assim condições para que tenham um papel ativo no processo de aprendizagem.  
Por isso não há a necessidade e nem a possibilidade do uso de um único ambiente, pois se a intenção é ampliar os conhecimentos dos alunos, quanto mais oportunidades de por em jogo aquilo que aprenderam, mais chances terão de transformar a informação em conhecimento.










Um comentário:

  1. Aprender brincando. Parabéns à coordenação e à professora doutora Karina.

    ResponderExcluir