sexta-feira, 29 de junho de 2012

O teatro no roteiro de férias das crianças

As férias escolares estão aí e os pais provavelmente querem aproveitar esse tempinho livre dos filhos para ficarem juntos. Então saiba que ir ao teatro pode ser um ótimo programa para este mês de julho!

Quem não gosta de acompanhar um bom relato?! Nas salas de teatro, crianças e adultos encontram uma equipe de pessoas que trabalham para criar as melhores histórias, descobrir maneiras diferentes de contá-las e ainda cuidar de todos os detalhes para que os espectadores possam sentir todas as emoções ao vivo!

E que pai não fica contente ao ver seu filho se divertindo? Mas o melhor de tudo é saber que, além de dar alegria para as crianças, o teatro é também uma ótima fonte de aprendizagem.

Quando os pequenos assistem a uma peça de teatro, são convidados a conhecer outros mundos, a usarem a fantasia e a imaginação, pensando, por exemplo, no que vai acontecer na cena seguinte, em como aquela história vai ou poderia terminar etc. Um espetáculo pode ainda fazer com que as crianças se identifiquem com histórias ou características dos personagens e possam conhecer mais a si mesmas.

Para garantir um ótimo passeio para seu filho, os pais devem se certificar sobre a classificação indicativa do espetáculo. Vale destacar que, apesar de muitas opções serem caras, é possível achar peças teatrais com preços acessíveis e até mesmo gratuitas. A dica é pesquisar em sites, jornais e revistas da sua cidade ou da cidade para onde quer levá-lo.

Se está em dúvida sobre qual espetáculo deve levar seu filho assistir, a dica é encontrar peças com temas ou personagens que façam os olhos dele brilharem. Os clássicos como Chapeuzinho Vermelho e Branca de Neve podem ser um bom começo. Depois, é hora de procurar peças diferentes, que tenham linguagens e temas novos, como musicais, teatro de bonecos, de sombras, de máscaras etc.

Um bom programa!

Ilustrativa

sexta-feira, 22 de junho de 2012

O gosto pelas frutas

As frutas são alimentos essenciais na alimentação de qualquer pessoa. Ricas em vitaminas, minerais, água e fibra, são alimentos que nos proporcionam mais saúde, proteção de doenças, entre outros benefícios. No que diz respeito às crianças, previnem a obesidade infantil e garantem um bom desenvolvimento.

Porém, algumas crianças, especialmente quando chegam aos dois ou três anos, diminuem o consumo de frutas, sendo que o ideal seria consumir de três a cinco porções por dia.

E o que fazer se o seu pequeno torce o nariz para as frutas? Ou se é seletivo e gosta apenas de um ou de dois tipos?

É preciso incentivar o consumo. E é claro que dar o exemplo é o primeiro passo. Pais e mães também devem comer frutas para que o filho tenha vontade de experimentá-las e consumí-las com frequência.
Mas, além disso, outras dicas podem ajudar. A salada de frutas é uma ótima ideia. É fácil e rápida de preparar e, geralmente, agrada às crianças. Os pequenos adoram quando podem ajudar na preparação, misturando as frutas, por exemplo.



Vale lembrar que o visual da salada de frutas é muito importante! Quanto mais cor tiver, mais atrativa será!

Você pode incrementá-la com granola, iogurte, farinha de linhaça e outros alimentos que, além de coloridos, são super saudáveis.



Outra forma agradável de oferecer fruta é fazê-la cozida, com uma calda feita com canela, por exemplo, e pouco açúcar. 



Frutas como a banana podem ainda ser assadas. Quentinhas, elas têm um novo sabor e são ótima opção para o inverno.



Eventualmente, não há problemas em oferecer a fruta com um pouquinho de chocolate, caso a criança sinta a falta de um docinho. A dica é derreter um pedaço pequeno do chocolate, picar a fruta e fazer um mini fondue. E cada vez mais ir aumentado a quantidade de fruta e diminuindo a de doce.



O mesmo vale para o leite condensado. Uma colher de sopa (rasa) para uma xícara de frutas picadas é uma boa quantidade, enquanto a criança ainda está se acostumando a incluí-las na sua alimentação.

O CLQ recomenda que todas as crianças levem ao menos um tipo de fruta para o momento do lanche na escola. Embora cada aluno escolha a sua, todos são incentivados a comer juntos, podendo um experimentar o que o outro trouxe. As frutas são consumidas antes dos outros alimentos que fazem parte do lanche escolar.

Fonte: Nutricionista Infantil blog (Dra. Karine N. C. Durães)

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Novas amizades e aprendizado

É na escola que a criança cria seus principais laços de amizade, e isto começa desde cedo. Assim que já está mais adaptada às aulas, ela vai se aproximando daqueles colegas com os quais tem mais afinidade e também vai se abrindo para conhecer novos amigos.

Como estão em pleno processo de aprendizagem e socialização, as crianças se mostram extremamente interessadas em estabelecer novas relações, ouvir relatos diferentes, contar suas histórias e observar os diversos tipos de comportamento que os colegas podem apresentar.

No CLQ, a receptividade e aceitação das crianças à diversidade é totalmente visível, inclusive no momento de receber alunos que vêm de outra cidade ou país.

Especialmente neste segundo caso, a convivência entre as crianças torna-se uma interessante via de mão dupla: o aluno que vem de fora traz na bagagem o aprendizado inicial que teve em seu país de origem, novos valores e detalhes da sua cultura. As crianças daqui mostram a eles, na prática, como é viver no Brasil, a rotina escolar, a linguagem e as relações.   

Para o Colégio, receber alunos de fora também é uma experiência muito positiva e valiosa. É a oportunidade de avaliar novos comportamentos, observar os diferentes níveis de conhecimento etc.

Afinal, tanto para adultos como crianças, lidar com a diversidade é sempre uma maneira prazerosa de aprender!


sexta-feira, 8 de junho de 2012

A curiosidade pela sexualidade

É normal que em algum momento da infância, a criança pergunte aos pais algo sobre sexo. Isso pode acontecer, por exemplo, após a retirada das fraldas, que em alguns casos desperta o interesse dos pequenos pelos seus órgãos sexuais. Ou quando eles já estiverem um pouco maiores.

Para as crianças, questionar sobre isso é tão natural quanto qualquer outra exploração de algo ao seu redor. Afinal, nesta fase de crescimento, a cada momento, os pequenos fazem novas descobertas.
A maioria dos pais se surpreende quando seu filho faz alguma pergunta relacionada aos órgãos sexuais ou ao sexo e não sabe muito bem como responder. É nesta hora que, a demonstração de surpresa, e até de constrangimento, pode fazer com que os pequenos se interessem ainda mais pelo assunto.

Então, como agir? O que responder?

Os pais não devem se desesperar, pois a criança está apenas seguindo “a cartilha do desenvolvimento infantil”. A dica é agir com a maior naturalidade possível.

O que as crianças têm de saber desde cedo é que a manipulação do corpo, por exemplo, é algo íntimo, que não deve ser feito em público.

O caso se torna preocupante quando a criança fala e demonstra muito interesse pelo assunto sexo. Neste caso, a melhor solução é procurar um profissional que possa conversar com ela. E, ainda assim, os pais devem se manter compreensivos com a criança, pois qualquer forma de reprimí-la poderá aumentar ainda mais sua curiosidade em torno da sexualidade.



Fonte: Revista Crescer

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Mês de festa e aprendizado

As festas juninas sempre integraram o calendário oficial do CLQ. Por sua animação e atrações, o Arraial do Colégio tornou-se tradição e, todos os anos, é aguardado com muita expectativa pelos alunos, por seus familiares e por toda a equipe da escola.

Os preparativos começam com quase um mês de antecedência, com o ensaio das danças e quadrilhas, que envolvem desde os alunos da Educação Infantil até os do Ensino Médio.

Aproveitando o clima de expectativa que antecede a festa, os alunos aprendem mais detalhes sobre as comemorações juninas - enraizadas na cultura popular brasileira - e também sobre as tradições rurais e folclóricas.

Os alunos de todas as séries acabam tendo, por exemplo, contato com os diferentes tipos de danças típicas desta época, como a quadrilha tradicional, a country e as danças regionais, como o pau-de-fita.

As crianças da Educação Infantil participam de diversas atividades que proporcionam o contato com esta tradição, por meio da música, dança, arte e até da culinária. Isso porque as ações pedagógicas prosseguem durante todo o mês de junho.

Além de proporcionar aprendizado aos alunos, o Arraial do CLQ é uma grande festa de integração entre os estudantes, familiares, professores e funcionários. Possibilita a todos um dia divertido para brincar nas diversas barracas de pesca, boca do palhaço, touro mecânico, entre outras atrações.

A festa junina é também uma ótima oportunidade para todos colocarem a “prosa” em dia, saboreando guloseimas típicas, como cuscuz, cachorro-quente, pastel, quentão, vinho quente e doces. E mais: para se divertirem vendo os alunos que capricham no figurino e se tornam verdadeiros “caipirinhas a caminho da roça”.